Entre em contato

© GD Solutions. Todos os direitos reservado. By Next4.

5 erros mais comuns na segurança da informação

5 erros mais comuns na segurança da informação

Com o avanço crescente dos hackers, ter dados confidenciais roubados e repassados para os concorrentes é uma realidade cada vez mais comum no cenário empresarial. Portanto, ter uma boa política de segurança da informação significa prolongar a vida da instituição. Ainda assim, muitas organizações não dão a devida atenção ao tema e acabam cometendo erros cruciais. Veja alguns dos mais frequentes neste post!

Não investir em segurança da informação

A direção de muitas companhias teme o investimento no assunto por achar que não terá o retorno necessário. No entanto, achar que os cibercriminosos nunca te atingirão é uma falha clássica. Sendo assim, a segurança não é vista como algo tão importante, o que pode gerar muitos problemas no futuro.

Dispor de alguns serviços e ferramentas mínimas como um bom antivírus, firewall e central de monitoramento é o básico para proteger as suas informações. Sem eles, ficará muito mais difícil recuperar os dados ou reparar os danos causados à imagem da marca caso haja algum ataque.

Não ter um centro de monitoramento

É essencial criar uma central de segurança da informação que funcione diariamente com o intuito de identificar possíveis ameaças. A partir desse centro, a própria tecnologia da empresa conseguirá monitorar o que está acontecendo com os computadores e servidores enquanto todos estão trabalhando, sendo possível reconhecer algo potencialmente malicioso.

Não conscientizar os funcionários

Muitas equipes de TI falham simplesmente em não ensinar as boas práticas de segurança da informação aos colaboradores. Afinal, muitos deles acabam clicando em links maliciosos, baixando arquivos infectados, abrindo páginas suspeitas etc. Ações que não são feitas de má-fé, mas que não aconteceriam caso todos tivessem o conhecimento necessário.

Para que isso aconteça, invista em workshops, cursos, palestras e reuniões que falem sobre o assunto. Com um pouco de tempo ensinando o básico — tanto para os leigos, quanto para os experientes —, todos saberão que não podem emprestar senhas a outras pessoas, por exemplo, além de conseguir identificar links duvidosos, entre outros.

Não ter uma política de segurança da informação

Junto ao treinamento, é importante pensar em um conjunto de regras que devem ser seguidas pelos funcionários. A partir delas, os colaboradores entenderão o que podem e o que não podem fazer, bem como o que é e o que não é prejudicial à empresa.

Nesse sentido, você pode considerar criar uma arquitetura de privilégios de acesso, onde apenas quem executar determinada função conseguirá acessar alguns setores da rede. Nesse cenário, as planilhas de pagamento só poderiam ser vistas pelo setor de finanças, não gerando nenhuma confusão com as outras áreas da firma.

Não fazer backups

Ter um ou vários backups é algo importantíssimo para qualquer companhia. Uma atitude simples, que é armazenar todos os arquivos empresariais em dois ou mais discos rígidos e/ou na nuvem, pode facilitar a volta da rotina de trabalho normal após alguma falha no sistema ou até mesmo um ataque hacker.

Entendeu como a segurança da informação é um assunto crucial para a sua instituição? As ações citadas são válidas para garantir um futuro melhor para a corporação. Por isso, não perca tempo e .aprofunde-se no tema. Veja neste post quatro desafios de segurança enfrentados pela área de TI!