Entre em contato

© GD Solutions. Todos os direitos reservado. By Next4.

A importância da autenticação de dois fatores

O Brasil é um dos países que têm mais problemas com segurança da informação, ficando atrás apenas de China e Estados Unidos, respectivamente. Por isso, é fundamental que as empresas estejam atentas para criar mecanismos que evitem comprometer a integridade e confidencialidade das informações.

Por exemplo, em 2020, o país sofreu mais de 8,4 bilhões de tentativas de ataques. E a tendência é que em 2021, esses dados aumentem exponencialmente, principalmente, pelo fato de estarmos cada vez mais trocando informações online após a pandemia.

Diante disso, implementar mecanismos de segurança torna-se cada vez mais fundamental, a fim de obter formas de proteção que viabilizem a proteção do seu negócio. Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que é a autenticação de dois fatores?

A autenticação de dois fatores diz respeito a um recurso que pode ser implementado na sua empresa para garantir uma camada adicional de segurança quando há necessidade de fazer login do usuário em uma determinada conta.

Normalmente o primeiro fator de autenticação é a senha, definida pelo usuário. Contudo, sabemos que cibercriminosos podem obter esses dados por meio de vazamentos, força bruta, invasões, entre outros. Por isso, é fundamental ter uma segunda forma de mostrar que o usuário é ele mesmo, e não alguém se passando por ele.

Assim, esse segundo ponto é uma camada extra de proteção, tanto para o próprio usuário, quanto para a empresa. Assim, para poder gerar o login, o usuário precisa provar que sabe algo a mais, que apenas o titular daquela conta saberá.

Ainda que não seja infalível (ou seja, ainda pode ser passível de fraude), diminui consideravelmente os riscos existentes. Por exemplo, uma pessoa que tenha furtado o celular de um indivíduo e que tenha um arquivo com as senhas no dispositivo, pode acessar as contas facilmente.

Contudo, ter esses dois fatores combinados é muito improvável. Com isso, a autenticação de dois fatores propicia maior segurança. Por isso, vamos ver as principais formas de gerar autenticação de dois fatores e seus mecanismos de funcionamento.

Esse é um mecanismo tão importante que já está sendo utilizado amplamente pelas empresas de tecnologia, como as redes sociais (Facebook, Instagram), aplicativos de conversação (WhatsApp, Telegram), e-mails corporativos e pessoais, sites de compras (Amazon), entre outros.

Quais as principais formas de gerar a autenticação de dois fatores?

A autenticação de dois fatores pode ser feita por meio de diversas formas. Vejamos as principais ferramentas utilizadas a seguir.

  • SMS: é enviado um código para o usuário, que deverá informá-lo na página de autenticação, seja no browser, seja no app. É um dos mais utilizados, justamente, pela praticidade: praticamente todo usuário tem um dispositivo habilitado para recebimento de SMS no dia a dia;
  • e-mail: o caminho é semelhante ao SMS. Contudo, nesse caso, o código chega por e-mail e não no dispositivo móvel;
  • biometria: é uma das formas mais seguras, pois pede dados que apenas aquele usuário pode ter, como digitais, leitura de íris, reconhecimento facial, batimentos cardíacos, entre outros. Contudo, sua dificuldade vem, muitas vezes, pelo fato de que muitos dispositivos, principalmente de internet das coisas, ainda não tenham leitores biométricos;
  • autenticador via QR code: o usuário precisa confirmar com a leitura do QR Code oferecido pelo serviço, por meio do seu dispositivo móvel;
  • dispositivos USB: alguns sistemas geram reconhecimento por meio do uso de um dispositivo móvel que conecta-se via USB com o aparelho. É o caso, por exemplo, dos certificados digitais via token;
  • certificados digitais: trata-se de uma espécie de chave que realiza a autenticação da identidade do usuário, por meio de sistema criptográfico. Pode ser tanto por meio da instalação do certificado no navegador (certificados A1) ou, então, por dispositivos móveis, como USB ou cartão (certificados A3).

O nível de segurança exigido para a segunda autenticação dependerá do tipo de função da solução. Por exemplo, para emissão de notas fiscais, normalmente solicita-se os certificados digitais, por tratar-se de documento oficial (e ser obrigatório por lei). Para acesso a contas simples (por exemplo, e-mail pessoal), a autenticação por SMS pode ser o suficiente.

Quais as vantagens de optar pela autenticação de dois fatores?

No ambiente interno de uma empresa, trazer a obrigatoriedade do uso da autenticação de dois fatores pode ser importante para garantir que aqueles logins são, de fato, autênticos e, portanto, não há entrada de terceiros nos sistemas da sua empresa.

Assim, caso ocorra algum vazamento de senhas ou, ainda, ocorra um ataque de força bruta, os hackers não conseguirão acessar o sistema. Assim, as atividades ficam protegidas de eventuais fraudes que possam atingir o seu negócio.

A autenticação de dois fatores, também, é importante para que seja possível gerar maior confiança para os usuários daquele sistema. Assim, eles saberão que suas respectivas contas não terão problemas com tentativas de fraude e, caso ocorram, eles serão notificados rapidamente sobre o problema.

Lembre-se sempre que o Brasil é um país com alto índice de problemas com cibercrimes e isso afeta as empresas dos mais diferentes portes, incluindo as PMEs. Por isso, toda proteção é necessária para garantir que estarão protegidos, bem como trarão proteção para seus clientes.

Quais outras medidas podem ser implementadas para segurança?

Como falamos, a autenticação de dois fatores é interessante, sim, para trazer maior segurança. Contudo, ainda é possível trazer mais camadas de proteção. Afinal, hackers podem interceptar mensagens SMS, utilizar de fraudes que possam obter o código, invadir token físico, entre outros.

Por isso, “seguro morreu de velho”. Portanto, vamos trazer outras questões importantes que merecem a sua atenção nesse momento. Algumas dicas importantes são:

  • troque senhas com frequência;
  • faça análise de vulnerabilidades constantemente;
  • opte por senhas fortes ou, então, utilize um gerenciador de senhas para isso;
  • instale programa de proteção nos dispositivos (como antivírus. Isso deve ser feito, também, nos dispositivos móveis);
  • tenha um plano de gerenciamento de riscos;
  • treine os colaboradores para evitar condutas de risco em suas atividades.

A autenticação de dois fatores é cada vez mais utilizada, justamente, por ser um mecanismo importante de proteção para sua empresa. Por isso, adote-o em suas rotinas e veja como os seus dados ficarão mais seguros ao trafegarem em ambiente digital.

Este conteúdo foi importante para você? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e leve-o para outros colegas que também terão interesse no tema.