A computação em nuvem é uma realidade nas organizações. Em 2016, o Gartner — uma das maiores autoridades no que diz respeito à Tecnologia da Informação — já afirmava: em 2020, serão tão raras as organizações que não trabalham com cloud computing quanto aquelas que não usam a internet em suas atividades.

A projeção se consolidou e tomou ainda mais fôlego com o cenário gerado pela pandemia do novo coronavírus. Mas a simples adoção da computação em nuvem não é o suficiente. Com a modernização e evolução dela, há a necessidade de conhecer mais sobre os termos, além de definir as opções que se encaixam melhor e são mais vantajosas para o seu negócio.

Pensando nisso, neste texto, entenda o que é nuvem híbrida, como ela funciona e muitos outros detalhes importantes. Boa leitura!

O que é nuvem híbrida?

A nuvem híbrida é formada pela combinação dos modelos público e privado, permitindo a troca de dados entre eles de forma facilitada.

Dessa forma, as informações podem ser movidas entre as nuvens de acordo com a necessidade e demanda da organização, garantindo maior flexibilidade em seu uso.

Como ela funciona?

A nuvem híbrida foi criada para suprir as demandas das empresas em relação às operações com os dois modelos de nuvem, conseguindo transferir dados entre elas de forma segura e eficiente.

No sistema de nuvem híbrida, as clouds públicas e privadas funcionam do mesmo modo que quando atuam independentemente, porém, há uma integração otimizada entre elas. Essa é a diferença entre utilizar os dois modelos de forma separada, ou contar com a nuvem híbrida: a interconectividade.

Sendo assim, temos:

  • redes LAN, WAN, VPN e APIs que trabalham em conjunto para conectar diversos dispositivos;
  • o uso de virtualização de servidores ou containers, que abstraem os recursos utilizados e podem ser devidamente agrupados em sistemas como data lakes;
  • um software de gerenciamento, que direciona esses recursos em locais nos quais as aplicações necessárias podem ser executadas e que serão provisionados on demand, por meio de um serviço de autenticação.

Qual é a sua diferença para os outros tipos de nuvem?

Para entender melhor essa questão, é fundamental entender como funciona cada uma das nuvens. Confira, a seguir!

Nuvem pública

A nuvem pública é aquela na qual os recursos são de propriedade de um provedor de serviço, sendo gerenciada por essa empresa. Assim, você compartilha os mesmos hardwares, armazenamento e recursos de rede com outros “locatários” daquela nuvem.

Ou seja, toda a necessidade de manutenção é suprida pelo provedor, fazendo com que você não tenha essa preocupação em sua empresa.

Nuvem privada

A nuvem privada é aquela na qual os serviços e recursos utilizados são fornecidos apenas para a sua empresa. Ela pode ter o data center em sua organização ou, então, ser fornecida por um provedor terceirizado — ainda assim, todos os serviços e a infraestrutura são dedicados apenas à sua organização.

Isso permite, por exemplo, uma maior personalização do serviço para as necessidades do seu negócio, atendendo aos requisitos necessários para a execução das atividades. Além disso, há uma maior privacidade das informações, já que os recursos não são compartilhados com outros usuários.

A diferença de ambas as opções para a nuvem híbrida é que, ao optar por um desses modelos explicados acima, você terá apenas as vantagens que ele oferece, sem poder contar com os bônus do outro. Já ao optar pela nuvem híbrida, é possível conciliar o que há de melhor entre as duas alternativas.

Quais são as vantagens da nuvem híbrida?

Uma das principais vantagens da nuvem híbrida é poder usar o melhor dos dois tipos de cloud a favor da empresa. Ela pode ser utilizada, por exemplo, para quando ocorrer uma maior demanda de processos.

Assim, é possível oferecer uma infraestrutura local para a nuvem pública, usando os recursos da privada. Com isso, não é necessário que os data centers terceirizados tenham acesso aos dados do seu negócio.

Além disso, pode ser um bom mecanismo para garantir uma maior segurança de dados para as aplicações da sua empresa, utilizando uma arquitetura híbrida. Por exemplo, os dados sigilosos podem ser hospedados na nuvem privada, enquanto a solução roda na pública.

Assim, algumas das vantagens da nuvem híbrida são:

  • maior segurança;
  • melhor infraestrutura de TI para demandas específicas;
  • possibilidade de oferecer mais serviços, economizando recursos;
  • maior controle no uso dos recursos em nuvem;
  • maior flexibilidade;
  • maior autonomia para as empresas operarem com seus dados, escolhendo os locais nos quais armazenarão tais informações e direcionando-as para outro modelo de nuvem, quando necessário;
  • melhor custo-benefício.

Quais cuidados devem ser tomados ao utilizar a nuvem híbrida?

Para que a adoção da nuvem híbrida seja realizada de forma consistente, garantindo melhores resultados, é fundamental atentar-se para algumas questões.

Ofereça uma transição tranquila entre o tradicional e a nuvem

Muitas vezes, a empresa quer sair de uma arquitetura tradicional e migrar diretamente para a nuvem híbrida. Isso não é impossível, mas exige cuidados consideráveis para não colocar em xeque não só a segurança e integridade dos dados, mas também a produtividade e funcionalidade da organização.

Para isso, é fundamental ter um plano de migração consistente, que realize a transformação de forma gradual, não apenas adotando as medidas práticas necessárias para este fim, mas também treinando seus colaboradores para uma cultura cloud.

Invista em segurança da informação

A nuvem híbrida proporciona uma maior segurança das informações, por meio da possibilidade em utilizar a versão privada para esse fim.

Ao mesmo tempo, exige maior atenção por parte dos especialistas. Isso porque, nessa modalidade, é responsabilidade da proprietária a adoção de mecanismos de segurança.

Conte com profissionais especializados para a migração

O uso da nuvem híbrida é altamente vantajoso, mas exige um profundo conhecimento do profissional de cloud para realizar a adesão, gerência e integração da solução.

Afinal, não é a simples migração de informações para nuvens públicas e privadas: é preciso garantir a integração entre elas e minimizar as chances de exposição dos dados a cibercriminosos.

Por isso, uma opção é chamar especialistas terceirizados para realizar toda a migração de forma consistente, bem como monitorar se a adesão está sendo eficiente de fato.

O uso da nuvem híbrida pode ser altamente vantajoso para as organizações. Por isso, avalie se os benefícios são condizentes com as demandas do seu negócio e faça o planejamento de adesão. Assim, você sentirá as diferenças de forma positiva no seu negócio.

Quer mais dicas interessantes para seu negócio no que diz respeito à adoção de novas tecnologias e modernização de TI? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos imperdíveis e exclusivos.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário