Na hora de realizar a escolha de servidores, muitas empresas acreditam que investir em uma opção própria é a solução mais adequada para garantir a segurança geral dos dados e proteger devidamente os arquivos. Porém, isso nem sempre é verdade.

A proximidade física do equipamento, por si só, não garante a proteção necessária. Já os servidores na nuvem, por exemplo, contam com equipes especialmente dedicadas a eles, o que torna essa escolha especialmente vantajosa.

Sem mais demora, vamos conhecer melhor as duas opções para que você decida qual é a melhor alternativa para seu negócio. Boa leitura!

O que é um servidor local?

É aquele alocado dentro das próprias dependências da empresa. De modo geral, há uma sala exclusivamente dedicada a ele, devidamente climatizada e protegida. Isso porque as máquinas precisam ser resfriadas para garantir o pleno funcionamento de toda a estrutura.

Outros cuidados são necessários, já que uma mera intervenção acidental pode causar a paralisação de atividades. Assim, em um servidor local, a própria empresa se torna responsável pela manutenção e proteção. Além do próprio espaço físico dedicado, é necessário designar uma equipe para cuidar dele.

O que é um servidor na nuvem?

Hospedar os dados na nuvem quer dizer, basicamente, que você está colocando suas informações em um servidor, uma máquina (ou um conjunto delas) conectada à web. Ela é gerenciada por uma empresa especializada no assunto, o que garante toda a segurança necessária para seus arquivos.

Isso é feito por meio da tecnologia conhecida como cloud computing, ou computação na nuvem, um método no qual os dados são salvos em uma rede compartilhada.

Dessa forma, não é necessário contar com servidores dentro do seu negócio, especialmente porque eles são caros para pequenas e médias empresas.

Contratar servidores na nuvem é uma prática já bastante recorrente no mercado nacional, pois grande parte das nossas empresas utiliza esse tipo de serviço.

Para aderir, a empresa paga uma assinatura aos gestores do servidor, profissionais com bastante conhecimento na área de TI que vão garantir a proteção aos dados, além da realização de manutenções periódicas e a defesa sólida contra ataques de hackers.

Quais são as vantagens e desvantagens de cada modelo?

A hospedagem de dados na nuvem é a alternativa mais popular atualmente. O principal motivo para utilizar esse serviço é a economia gerada, já que as empresas não precisam gastar tanto com equipamentos e infraestrutura geral de TI.

Além disso, a mobilidade corporativa é estimulada pelo serviço em nuvem: isso porque o acesso remoto aos dados se torna bem mais ágil, o que gera grande vantagem competitiva para gestores e colaboradores que estão sempre trabalhando em campo.

A opção de adotar um servidor local é geralmente escolhida por companhias de grande porte, que têm condições de arcar com esses investimentos. Os gastos são maiores também com pessoal, já que é necessário contar com colaboradores bastante qualificados para garantir toda a segurança necessária às informações.

O servidor local demanda, ainda, mais esforço por parte dos colaboradores e pode acabar tirando o foco da atividade principal do negócio. O cuidado necessário para a correta manutenção dessa estrutura deixa a equipe interna bastante sobrecarregada.

Podemos concluir, portanto, que para as pequenas e médias empresas a opção na nuvem é a mais indicada. Esse servidor é operado por profissionais de alto nível, o que garante que os gestores possam se dedicar exclusivamente às atividades-fim do negócio.

Percebeu como a escolha de servidores depende das necessidades de cada negócio? Ter uma infraestrutura completa de tecnologia em sua empresa é bastante tentador, mas a redução de custos e a praticidade garantidas pelos serviços em nuvem são outros fatores a se levar em consideração.

Gostou do artigo e quer continuar acompanhando nossos posts? Então, nos siga nas redes sociais: estamos no Facebook e no LinkedIn!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário