A área de TI (Tecnologia da Informação) é muito completa e está constantemente sujeita a mudanças. Por isso, é importante conhecer o máximo possível sobre ela, principalmente sobre shadow IT. Ainda não sabe o que significa esse termo? Pois saiba que o seu impacto pode trazer consequências extremamente sérias à sua empresa.

É bem difícil ter uma ideia concreta somente ao analisar essa palavra, não é mesmo? Ainda mais pelo fato de não ser um termo tão comentado. Mas assim que você conhecê-lo, será possível entender exatamente de que maneira ele funciona.

Ficou curioso? Então, continue acompanhando o texto para entender o que é, como acontece, quais os riscos e como você pode proteger sua empresa do shadow IT! Boa leitura!

O que é o conceito de shadow IT?

Podemos traduzir shadow IT como TI nas sombras. No Brasil, o termo é mais conhecido como TI invisível, sendo usado para definir qualquer uso de dispositivos ou softwares que fuja do controle prático dos profissionais do setor ou sem o conhecimento do departamento. Ou seja, é utilizar programas e aplicativos sem ter a aprovação para o acesso e a manipulação dos dados da empresa.

Ao mesmo tempo em que há uma tradição e uma lógica inovadora por trás do shadow IT, sem engessar demais as experimentações para ajudar a empresa a inovar, o descontrole no gerenciamento desses aparelhos sem qualquer tipo de monitoramento pode acabar causando sérios problemas — que, como o próprio nome diz, vão ser totalmente invisíveis até que o caos seja bem grande para ser ignorado.

Como ele funciona?

O shadow IT ocorre quando uma pessoa decide fazer uso de um serviço baseado em nuvem sem que a empresa tenha conhecimento da ação, como com o uso de aplicativos de gerenciamento de tarefas e de projetos, por exemplo.

Na prática, uma TI “invisível” são todas as ferramentas usadas pelos profissionais, mas que não constam em nenhum protocolo formal da corporação. Se você tem que organizar a sua agenda e usa um site com dados em nuvem, já está realizando o shadow IT na sua rotina diária.

Como vemos, essa forma de tecnologia é mais um fenômeno do que um modelo específico. Trata-se do resultado da maior acessibilidade de vários recursos digitais, sobretudo a partir da Internet.

Quando precisa contar com uma ferramenta para aprimorar a sua performance, você pode fazer uma pesquisa rápida e encontrar facilmente uma opção. De forma natural, essas soluções não precisam ser aprovadas por profissionais de TI da empresa. Mas, quando falamos de uma grande corporação, esse fenômeno apresenta alguns pontos desfavoráveis.

Quais são os riscos?

Antes de apresentar algumas dicas essenciais para minimizar o problema, é importante deixar claro como uma TI invisível acaba afetando a produção e comprometendo os dados da empresa. Confira, a seguir!

Uso de softwares sem licença

Quando não existem meios de monitorar uma interação entre sistema e terminal, torna-se impossível fazer a validação das licenças dos softwares que são usados dentro da organização — o que pode significar um processo por quebra de contrato futuramente. Além disso, os programas não licenciados passam a ser grandes brechas de segurança e vulneráveis a possíveis ataques externos.

Falta de registro de produção

O uso de dispositivos e de softwares fora do monitoramento e do conhecimento do gestor de TI deixa uma parte considerável da operação à sombra de um registro oficial de tarefas dentro da empresa.

Sem esse monitoramento, existe um escoamento da produção e do investimento que passam a não ser contabilizados, criando, assim, uma discrepância entre os resultados e os processos, dificultando a identificação de novas estratégias para otimizar a operação.

Gambiarras que podem afetar a segurança

Quando se fala em segurança, o maior risco é o comprometimento total da segurança da informação, causado por gambiarras realizadas no sistema. A utilização de softwares não registrados, sem compliance e em qualquer nível, quando feita de qualquer modo, acaba criando pontos cegos por toda a cadeia produtiva da empresa.

São essas aberturas que deixam o caminho livre para os criminosos. Em segurança da informação, não se pode criar um ambiente protegido se todos os tijolos que estão formando as paredes não forem conhecidos e monitorados.

Como proteger a empresa do shadow IT?

Esse é o momento de adotar algumas práticas que possam proteger a sua empresa do shadow IT! Confira dicas valiosas, a seguir!

Melhore o monitoramento

Vamos começar pelo óbvio: sem um monitoramento eficiente, é claro que não vai haver controle dentro de um departamento de TI. Isso também vale para buscar e identificar dispositivos e programas que estão interagindo com o sistema de modo não autorizado. Assim, aposte em uma ótima gestão de credenciais de acesso para que você consiga descobrir rapidamente a origem do problema.

Aplique uma auditoria detalhada

A auditoria é um passo indispensável, pois os gestores de TI precisam, antes de tudo, melhorar o seu conhecimento a respeito da tecnologia presente nos mais variados setores da empresa. Após ter esse conhecimento aprofundado, vai ser possível traçar um plano de segurança da informação e de gestão que inclua também tudo o que estava nas sombras.

Invista em configuração na nuvem

A computação em nuvem é uma realidade nos dias de hoje, proporcionando maior segurança aos dados e programas armazenados de forma remota. Quando a gestão oferece recursos tecnológicos mais flexíveis, as pessoas não vão precisar fazer uso do shadow IT para realizar alguns trabalhos.

Além de proteger contra vazamentos e roubos, todos os softwares presentes na cloud computing vão ser atualizados constantemente, sem precisar comprar licenças. Esse é um aspecto fundamental que contribui significativamente na descontinuidade do uso de soluções piratas, as quais podem criar aberturas para invasão de hackers.

Restrinja o acesso à aplicação de terceiros

Essa é uma medida não tão comum, mas extremamente necessária. Dentro do empreendimento, ou conectado ao seu sistema, podem ficar apenas os softwares que estão monitorados e autorizados. Qualquer aplicativo ou programa que não seja fundamental para a operação precisa ficar de fora. Por fim, garanta que todos na empresa conheçam e compreendam os riscos de usar soluções que não passaram pelo critério da TI.

Como vimos, é preciso ter em mente que a segurança da informação é um ponto extremamente crítico para proteger o seu negócio contra o vazamento de dados e os ataques cibernéticos, assim como contar com uma política de segurança clara e muito bem divulgada é imprescindível para expulsar o shadow IT da corporação.

Gostou de saber mais sobre o shadow IT? Então, aproveite para ler o nosso texto sobre segurança digital para contabilidade e como proteger a sua empresa de ataques cibernéticos!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário