As empresas que adotam uma solução de computação em nuvem podem esperar vários benefícios e recursos que esse ambiente traz. Essas vantagens variam de pequenas (facilidade de acesso, infraestrutura centralizada) a grandes (economia, sem necessidade de reparos físicos).

Todos esses benefícios são obviamente úteis para as empresas, mas a maioria deles também pode ser encontrada em outras tecnologias. Uma vantagem exclusiva da nuvem, no entanto, é a elasticidade em cloud computing.

Se você não conhece essa importante característica da nuvem, nós explicamos agora!

O que é elasticidade em cloud computing?

A elasticidade é a capacidade de alocar recursos da nuvem de forma rápida e dinâmica, incluindo recursos de computação, armazenamento e memória, em resposta às mudanças nas demandas.

O objetivo da elasticidade em cloud computing é evitar o provisionamento excessivo ou insuficiente de um determinado serviço, ou aplicativo. O provisionamento excessivo (ou seja, alocação de muitos recursos) resulta em despesas maiores do que o necessário, enquanto o provisionamento insuficiente (alocação de poucos recursos) significa que nem todos os usuários poderão acessar o serviço.

Qual a diferença entre elasticidade e escalabilidade em cloud?

A elasticidade da nuvem às vezes é confundida com a escalabilidade, geralmente porque são usadas alternadamente ou mencionadas na mesma frase. A escalabilidade se refere ao aumento ou redução de fluxos de trabalho, ou arquiteturas em infraestruturas pré-construídas sem afetar o desempenho.

No grande esquema das coisas, a elasticidade e a escalabilidade da nuvem são duas partes do todo. Ambas estão relacionadas ao manuseio da carga de trabalho e dos recursos do sistema. O conceito fundamental dos dois é a adaptabilidade. Refere-se à capacidade do ambiente do sistema de usar quantos recursos forem necessários. A diferença básica entre elas está em suas funções:

  • a elasticidade da nuvem é uma operação tática de alocação de recursos. Ela fornece os recursos e a capacidade necessários para a tarefa atual e lida com cargas variadas por curtos períodos. Por exemplo, executar um algoritmo de análise de sentimento, fazer backups de banco de dados ou apenas verificar picos de tráfego do usuário em um site;
  • a escalabilidade da nuvem é uma operação estratégica de alocação de recursos. Ela lida com a escala de recursos de acordo com as demandas de carga de trabalho do sistema.

Qual a importância da elasticidade para a computação em nuvem?

A elasticidade adiciona recursos ou aprimora a capacidade da computação em nuvem com a infraestrutura de TI já existente. Não requer investimentos extras em novo software, treinamento de pessoal ou adição de novos equipamentos. Ele estende a usabilidade dos recursos de TI já existentes, integrando-se a serviços e ferramentas em nuvem.

Ela também ajuda a fornecer serviços de computação dinamicamente aos clientes com facilidade, sem a necessidade de adicionar custo extra ao negócio em termos de construção de capacidade. Além disso, impulsiona negócios eficientes e é um dos poucos recursos que alavancou a demanda por computação em nuvem a patamares maiores.

Este tipo de experiência de computação é entregue usando várias abordagens, como o modelo pré-pago. Os benefícios de usar esses serviços são que um cliente tenta aproveitar um recurso de computação instantâneo, como tempo de CPU de computação, armazenamento, memória e rede podem aproveitar esses recursos de forma automática, sem ter que investir em infraestruturas permanentes.

A escalabilidade é amplamente utilizada no segmento de varejo devido à alta atividade sazonal flutuante. Durante as vendas de baixa temporada ou de final de ano, um pico repentino no sistema pode ser gerado, exigindo mais recursos de computação devido ao aumento na demanda dos clientes. Em vez de aumentar o orçamento dos enormes custos de infraestrutura para atender a essa demanda de capacidade, uma solução de negócios sólida seria aproveitar essa oportunidade usando um serviço elástico em nuvem.

Como a elasticidade é aplicada aos negócios?

O roteiro para organizações que utilizam a nuvem é único em cada caso e deve evoluir de acordo com suas necessidades individuais. Assim, eles podem projetar sua arquitetura aproveitando qualquer um ou todos os seguintes benefícios substanciais da elasticidade em cloud computing.

Computação sob demanda

Na era pré-nuvem, o problema de ter capacidade suficiente para suportar picos repentinos de largura de banda foi resolvido com a expansão da arquitetura com mais servidores e drives. Esse esforço exigiu grandes investimentos iniciais em hardware, espaço de datacenter, energia, resfriamento e largura de banda da rede, junto de um planejamento de capacidade intensivo e muitas vezes argumentativo.

Com a nuvem, no entanto, essa capacidade já está instalada e pronta para aumentar ou diminuir em tempo real, praticamente eliminando a preocupação com picos de tráfego. Esse aspecto da elasticidade costuma ser chamado de escalonamento automático, que engloba três tipos diferentes de configurações.

A configuração mais comum é baseada no limite de monitoramento de servidores existentes. Outra é chamada de escalonamento preditivo, o escalonamento predeterminado da capacidade do servidor com base em períodos esperados de alto tráfego.

A terceira configuração é conhecida como escalonamento programado, em que os recursos do servidor são implantados com base em períodos regulares de alto tráfego esperados, como horários comerciais de pico. Todas essas configurações podem ser reduzidas conforme a demanda diminui, é claro.

Failover e tolerância a falhas

O conceito de virtualização de servidor revolucionou a TI e a nuvem o levou a outro nível. Com o uso de escalonamento automático ou conjuntos de disponibilidade, um “clone” de um servidor com falha pode ser acionado proativamente pelo monitoramento up e down. Isso permite a reimplantação rápida e eficaz de cópias exatas de um servidor de produção em questão de minutos, de maneira sempre ativa.

A nuvem também permite o particionamento de componentes isolados e tolerantes a falhas. Junto à automação, isso pode ser feito com pouca ou nenhuma interação humana.

Facilidade de implementação

Existem vários cursos online especializados no ensino de métodos, processos, tecnologias e práticas recomendadas para a execução de ecossistemas de TI nas nuvens. Cada provedor de nuvem também oferece ampla documentação de suas tecnologias e melhores práticas disponíveis ao público.

Cada um também fornece 2–3 métodos de interface diferentes para administração, focados em várias populações de proficiência do usuário, desde a interface do usuário baseada em navegador para novos usuários até a interface de linha de comando ou SDKs para usuários avançados.

À medida que mais empresas se aventuram neste setor em busca de economia e eficiência operacional, a demanda por ambientes de nuvem híbrida, junto à elasticidade dos serviços de nuvem pública, tornaram-se a nova norma. A elasticidade da nuvem traz economia e desempenho consistente com disponibilidade de serviço 24 horas por dia.

Em resumo, a elasticidade em cloud computing é um recurso altamente desejável para sua infraestrutura de TI: ela ajuda você a se manter operacional durante picos de demanda, melhora sua flexibilidade e disponibilidade e usa um modelo de “pagamento conforme o uso” que, com certeza, será mais amigável ao seu orçamento de TI.

Precisando de ajuda para adotar a melhor estratégia de TI na sua empresa, incluindo o melhor uso da nuvem? Entre em contato com a gente, fale com um de nossos especialistas e saiba como podemos apoiá-lo!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário