Entre em contato

© GD Solutions. Todos os direitos reservado. By Next4.

Monitoramento de Servidores Windows com PRTG

[vc_row][vc_column][vc_column_text]O monitoramento da infraestrutura de TI é fundamental e abrange muito mais do que servidores. Com a ferramenta certa você também pode monitorar sistemas, serviços, ativos de rede, energia e tudo aquilo que puder ser monitorado.
Hoje vamos falar de Monitoramento de Servidores Windows, físicos ou virtuais.
A ferramenta de monitoramento utilizada será o PRTG.

O que precisamos monitorar em um Servidor Windows?

Neste artigo, vamos falar do monitoramento de um servidor de Arquivos, que é mais básico. Nos próximos artigos falaremos de servidores mais específicos.
A primeira coisa que precisamos saber é se o servidor está “on line”, depois a utilização da CPU, memória e o espaço em disco. Este último é o que geralmente causa as famosas indisponibilidades dos servidores.

Além destes recursos, recomendo monitorar a tempo de atividade (uptime) para saber quando foi a última reinicialização e o trafego de rede, que pode indicar lentidão ocasionada geralmente por alto consumo.

Para complementar o monitoramento da utilização da memória, é muito útil monitorarmos o “page file”, conhecido como memória virtual que é usada quando a memória RAM, ou seja a física não é suficiente. Este é outro grande indicador que sinaliza a necessidade de aumentar a memória física ou em servidores virtuais a vRAM.

Requisitos para monitorar qualquer tipo de servidor Windows

Utilizando o PRTG, não é necessário a instalação de nenhum agente nos outros servidores, pois a comunicação é feita através de protocolos como o SNMP e o mais prático e utilizado, o WMI.
Agora que você já sabe sobre os protocolos utilizados para monitorar, você também vai precisar das credenciais do servidor ou domínio para acessar e coletar os dados.

Configuração dos alarmes e notificações
Agora que você já está monitorando o seu servidor é necessário definirmos quais serão os alarmes de acionamento e o tipo de notificação.

Minhas recomendações são:

Aviso = Warning => para CPU 70% de utilização por mais de 10 minutos
Aviso = Warning => para memória ram menos 30% livre assim que atingir
Aviso = Warning => para disco menos de 25% livre assim que atingir
Critico= Critical/Down => para indisponibilidade do Ping assim que atingir
Critico= Critical/Down => para CPU 95% de utilização por mais de 10 minutos
Critico= Critical/Down => para memória ram menos de 5% livre assim que atingir
Critico= Critical/Down => para disco menos de 10% livre assim que atingir

Principais benefícios de monitorar os servidores:

  • Tomar ações preventivas assim que notificar o aviso “warning”, de forma proativa, sem impacto para a empresa.
  • Identificar o problema rapidamente
  • Saber da ocorrência de algum problema antes mesmo do usuário/funcionário.
  • Emitir relatórios de disponibilidade e evidencias para a gerencia justificando a necessidade de um upgrade ou novo servidor.

Resultado visual de um Monitoramento Essencial

Exemplo de relatório Mensal de CPU


Agora que estamos monitorando o essencial e seremos avisados em caso de algum alarme ser acionado. Já podemos dormir tranquilos? Quase 😊
Dentro de um CPD, é importante monitorarmos além dos equipamentos, a energia e a temperatura do ambiente. Estes itens podem ser monitorados por sensores dedicados ou através de nobreaks gerenciados que suportam modulo IP de gerenciamento remoto e ambiental através do protocolo SNMP.

Exemplo de monitoramento de um Nobreak APC, onde estamos monitorando a capacidade da bateria, a tensão de entrada e saída e através do sensor de monitoramento ambiental a temperatura do ambiente:

Mas o que podemos fazer com estas informações? Vejam esta situação:

P: Dorian, são 3 da manhã e chegou uma notificação no meu celular que a energia caiu e tenho somente 30% de bateria, o que eu faço?
R: O novo administrador sempre tem que pensar em automação, (já ouviu falar de DevOps?) o PRTG te ajuda nesta situação. Através de alguns comandos no Powershell, no PRTG é possível atrelar a um evento a ação de desligamento dos servidores e o religamento deles quando a bateria voltar a carregar e estiver acima de 50%.

Monitoramento de servidor Windows (file server) avançado

Monitorar arquivos, pastas e logs

Até agora, vimos o que é possível monitorarmos da parte física do servidor e do ambiente onde ele está localizado, mas podemos ir além e monitorar a parte lógica também, como por exemplo monitorar o tamanho de um arquivo ou pasta, ou até contar quantos arquivos tem determinada pasta ou procurar uma string dentro de um arquivo de log e tomar alguma ação se o arquivo for igual ou maior que X, ou se o arquivo ou log é mais velho que 2hs dentre outras necessidades.

Monitorar Serviços e processos

Vamos imaginar que o seu servidor rode um serviço importante e você quer saber se está online e caso ele pare, seja reiniciado e envie uma notificação para o administrador (lembre-se sempre de automatizar), pois de nada serve saber se ninguém ou algo (Sistema) tomar uma ação frente ao evento.
E quando não é serviço, e é apenas um executável? Perfeito…também é possível monitorar e tomar ações.
Existem inúmeras necessidades e isso vai depender de cada ambiente.

Mas isso é assunto para um outro artigo. No próximo nos aprofundaremos mais.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]