O Brasil é um dos países com maior índice de cibercrimes no mundo, bem como o segundo com maior perda financeira neste tipo de ataque: perde apenas para a China. Além disso, com a pandemia do novo coronavírus, o volume desse tipo de ação também aumentou: entre fevereiro e abril, o aumento foi de 333%, segundo levantamento da Kaspersky.

Um dos grandes problemas ocasionados pelos criminosos é o vazamento de dados. Esse tipo de ação é extremamente nocivo para as organizações e pode trazer consequências para além das questões financeiras. E muitos gestores de informação, muitas vezes, subestimam essas questões.

Você tem consciência real das principais dimensões sobre o vazamento de dados para a sua empresa? Neste artigo vou trazer os principais impactos deles para as organizações. Aproveite para tirar suas dúvidas sobre esse tema tão importante.

Perda financeira

O primeiro ponto — e, talvez, o mais perceptível de imediato — são as perdas financeiras decorrentes dos ataques cibernéticos. Em um primeiro momento, o vazamento implica em medidas custosas para contenção dos danos, levando, já de imediato, a um prejuízo inesperado.

Além disso, o vazamento gera, para o público, uma sensação de despreparo por parte da empresa para lidar e garantir a proteção dos dados do negócio. Assim, elas não querem correr o risco de serem expostas novamente. Quer ver um exemplo disso?

Pense no vazamento de dados delicados, como número do cartão de crédito do cliente. As fraudes geradas por este tipo de situação podem causar impactos significativos na vida da pessoa, de forma que ela não vai querer se expor ao risco de passar por isso no futuro. Assim, muitos potenciais clientes poderão optar por não fazer negócios com a sua empresa e, portanto, optar por outros concorrentes do mercado.

O mesmo tipo de vazamento pode levar a outro tipo de consequência: ações fraudulentas podem ocorrer, também, gerando prejuízos para compras que não deveriam ocorrer. Por exemplo, um criminoso, após um vazamento, invade a conta de um cliente e realiza compras com o cadastro dele, mediante fraude. Com isso, seu negócio pode arcar com o prejuízo de enviar um item, cujo pagamento pode ser invalidado posteriormente.

Vazamento de dados estratégicos

Muitas empresas trabalham com dados estratégicos internos e que devem ser mantidos sob sigilo. É o caso, por exemplo, do planejamento de um novo produto ou serviço, ou questões relacionadas com segredos de negócios. O acesso aos conteúdos é feito apenas para os envolvidos, de forma a evitar que concorrentes possam implementar o mesmo, sendo o seu diferencial competitivo.

Quando eles são vazados, o negócio pode perder destaque no mercado. Imagine, por exemplo, que as informações sobre o funcionamento do algoritmo do buscador Google sejam expostas — este, que é o principal diferencial do negócio, colocando-o como melhor site de pesquisa existente. Isso poderia gerar uma série de outros sites que possam aproveitar essas informações e, até mesmo, melhorar o algoritmo do Google.

Por isso, essas informações devem ser sigilosas e protegidas. Ao vazarem, podem oferecer munição para que outros players do mercado passem à frente e consigam resultados melhores do que os seus.

Perda de confiança do cliente

Como falamos anteriormente, o cliente está cada vez mais consciente sobre a importância da sua privacidade. Ele não quer suas informações expostas, mesmo que não se trate de questões que possam gerar danos financeiros. Por exemplo, ter o telefone de cadastro exposto pode causar dores de cabeça complicadas e indesejáveis.

Caso ocorra um vazamento de informações, mesmo que os dados dele não estejam envolvidos, ele terá medo de que ocorra algo com suas informações e, assim, pode desejar parar de fazer negócios com sua empresa. Isso torna-se ainda mais complicado quando estamos falando em empresas B2B, já que, entre os dados vazados, podem estar aqueles referentes a outra organização e, consequentemente, prejuízos financeiros para eles.

Danos à imagem da empresa

Uma empresa que passa por esse tipo de situação é vista, principalmente por leigos, como um agente que não cuida dos dados do seu negócio. Assim, isso pode passar uma imagem no mercado de descuido, negligência, entre diversas outras questões.

Dependendo do tipo de ocorrência, esse dano de imagem pode ser de longo prazo e ser relembrado continuamente. Por exemplo, o vazamento das informações da rede PSN, da Sony, em 2011, ainda é lembrado, dada à proporção do ocorrido. Naquela ocasião, um hacker acessou dados de 77 milhões de jogadores online do PlayStation em todo o mundo.

Interrupções operacionais

Diante de um vazamento, ao adotar o plano de contingência, é normal que as operações da empresa paralisem imediatamente, para quem possam ser mensurados os danos causados, identificar qual foi o ponto de vulnerabilidade e tomar as medidas necessárias para evitar danos maiores.

A depender do tipo de situação, essa paralisação pode ser ágil, ou então, interromper horas de trabalho para solução do problema. E sei que, muitas vezes, minutos de interrupção já representam perdas financeiras consideráveis.

Implicações legais

Para além de tudo que citei neste artigo, ainda tenho um ponto adicional importante a citar: as implicações legais sobre o vazamento de dados. Em primeiro lugar, os danos gerados podem ser passíveis de processos. Isso ocorreu, por exemplo, no caso do vazamento da Sony, que listei anteriormente.

Ainda temos outro ponto: a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) também aborda esse tema. Segundo ela, se os dados que estão protegidos pela legislação vazarem, a empresa pode precisar pagar uma indenização ao usuário que foi lesado, já que era obrigação dela garantir as medidas de segurança necessárias.

É importante lembrar que a lei entrou em vigor em agosto de 2020 e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) teve sua formação anunciada em outubro de 2020. Portanto, em breve, os problemas desta natureza serão analisados pelo órgão e poderão gerar sanções legais em caso de descumprimento da legislação.

Para evitar vazar dados das empresas, é fundamental tomar as medidas de cibersegurança necessárias para proteger as informações internas e blindar-se das questões que trouxe ao longo deste artigo. Para isso, contar com uma empresa que ofereça uma infraestrutura de segurança adequada para seu negócio, bem como uma consultoria capaz de analisar os principais pontos de vulnerabilidade.

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe-o em suas redes sociais e leve-o para sua rede de amigos.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário